Projetos Realizados

Aeroportos/Aeródromos

Aeroportos /Aeródromos

  • Plano Diretor, Escolha de Sítio Aeroportuário
  • PBZPA- Plano Básico de Zona de Proteção do Aeródromo
  • PZPANA-Plano de Zona de Proteção de Auxílios à Navegação Aérea
  • Elaboração de Projeto de Lei de Uso do Solo para a Preservação da Segurança de Voo no Entorno dos Aeroportos.

Aeroporto Internacional de Florianópolis

Elaboração do Plano Básico de Zona de Proteção e Plano de Zona de Proteção de Auxílios à Navegação Aérea do Aeroporto Internacional de Florianópolis (SC) – Hercílio Luz , com a adequação do Plano Diretor do Aeroporto.

Aeroporto Internacional de Fortaleza

Elaboração do Plano Básico de Zona de Proteção e Plano de Zona de Proteção de Auxílios à Navegação Aérea do Aeroporto Internacional de Fortaleza (CE) – Pinto Martins, com a adequação do Plano Diretor do Aeroporto.

Participação na elaboração do Plano Diretor para ampliação do Aeroporto Internacional Tancredo Neves/Confins e sua expansão para aeroporto indústria.

O projeto prevê o AITN como um dos maiores hubs para cargas e também passageiros na América do Sul.
O estudo contempla área de adequação urbana em um raio de 20 km no entorno do aeroporto. Trabalho feito em conjunto com a INFRAERO, Governo do Estado, consultorias internacionais Jurong/ Changi e Prefeituras Municipais (sobretudo de Confins e Lagoa Santa), MG.

Participação na coordenação da implantação do Polo de Aviação / Complexo Aeronáutico de Minas Gerais.

Um amplo trabalho de logística reúne no mesmo sítio um conjunto de atividades que geram sinergia e complementaridade em um polo integrado de aviação. Segundo maior complexo aeronáutico do país, após São José dos Campos, São Paulo.

Participação na coordenação da prospecção de empresas do setor aéreo e afins para o Complexo Aeronáutico de Minas Gerais.

A primeira empresa a concretizar sua instalação no CTCA foi a Embraer, que implantará no local seu escritório de Engenharia, em que deverão trabalhar cerca de 100 engenheiros. A Escola Técnica em Aeronáutica – MEC, o SENAI e empresas do setor de helicóptero são outras instituições relacionadas para o CTCA. Companhias de aviação também deverão se implantar no local.

Aeroporto Internacional de Porto Alegre

Elaboração do Plano Básico de Zona de Proteção e Plano de Zona de Proteção de Auxílios à Navegação Aérea do Aeroporto Internacional de Porto Alegre (RS) – Salgado Filho, com a adequação do Plano Diretor do Aeroporto.

Aeroporto Internacional de Viracopos, Campinas/SP

Elaboração do Plano Básico de Zona de Proteção e Plano de Zona de Proteção de Auxílios à Navegação Aérea do Aeroporto Internacional de Viracopos em Campinas(SP), com a adequação do Plano Diretor do Aeroporto.

Aeroporto Internacional de Salvador

Levantamento Topográfico Cadastral com as Orientações Técnicas Básicas para a Elaboração do Plano de Zona de Proteção de Auxílios à Navegação Aérea e Plano Básico de Zona de Proteção do Aeroporto Internacional de Salvador (BA) – Deputado Luís Eduardo Magalhães, para também a adequação do Plano Diretor do Aeroporto.

Participação na elaboração do Plano Diretor para ampliação do Aeroporto Internacional Deputado Luís Eduardo Magalhães

Participação na elaboração do Plano Diretor para ampliação do Aeroporto Internacional Deputado Luís Eduardo Magalhães.

Trabalho em conjunto com INFRAERO, COMAER – Comando da Aeronáutica, IAC-Instituto de Aviação Civil (incorporado pela ANAC), Governo do Estado e Prefeitura Municipal de Salvador, BA.

Pista de Pouso Fazenda Serinhaém, Ituberá, BA

Renovação de Registro, Regularização e Projeto Executivo de Pistas de Pouso de pequeno e médio porte, inclusive a elaboração do Plano Básico de Zona de Proteção do Aeródromo – PBZPA.

Pista de Pouso privada

Pista de Pouso privada

Projeto de Nova Pista de Pouso privada localizada no município de Santa Luz (BA).

Participação na coordenação de elaboração do PELTBAHIA

Programa Estadual do Logística de Transportes do Estado da Bahia. Para organizar a cadeia logística congregando as diversas modalidades de transporte de modo a atender às necessidades do Estado nos próximos 20 a 25 anos, o trabalho definiu estratégias públicas e privadas em um minucioso programa. O PELTBAHIA deu ênfase à movimentação de diversos produtos agrícolas, industriais e minerais dentro do Estado, com estados vizinhos e nos canais de exportação.